Sua saúde sexual durante a pandemia do COVID-19

Como os casos de COVID-19 têm gradualmente crescido na Irlanda, estamos, todos, aprendendo muito sobre como lavar as mãos corretamente, como lidar com os sintomas, a questão do autoisolamento e o distanciamento social. Também estamos vivenciando um momento em que os pubs, bares, clubes e saunas estão fechados – locais onde a comunidade gay, bissexual e de homens que fazem sexo com outros homens (HSH) costuma socializar, divertir-se e se sentir segura. Mas o que temos ouvido pouco é a respeito de como cuidar da nossa saúde sexual e bem-estar durante esse momento de pandemia. Então, por isso, o nosso time do Programa MPOWER compilou algumas orientações e dicas para ajudá-lo durante a crise do COVID-19.

Primeiramente, vamos tomar um momento para que possamos falar de como o HIV Ireland e o Programa MPOWER trabalham numa perspectiva de positividade sexual, encorajando a todos a curtir o sexo, sem medo, nem vergonha. Para tantos gays, bissexuais ou HSH, é muito importante não associar o prazer do sexo com medo, e ter uma vida sexual sadia, feliz, do jeito que quiser, sem se sentir envergonhado por isso. Queremos que você saiba que nós o apoiamos. Contudo, dada a situação de emergência na saúde pública, o que consideramos “normalidade” está em suspensão, e assim como tantas outras coisas que fazem parte da vida social e pessoal de todos nós, neste momento, precisamos reconsiderar nossas ações em favor do bem coletivo.

Sexo

O COVID-19 não é sexualmente transmissível, mas o sexo, por si mesmo, é um esporte de contato; o toque, o beijo e as manobras de diversas posições sexuais podem transmitir coronavírus. E, como todos sabemos, precisamos neste momento manter o distanciamento social – manter cerca de dois metros de distância entre as pessoas, o que torna difícil qualquer forma efetiva de contato sexual.

Não é uma transição muito fácil a ser feita, mas em vez de apenas sexo, poderíamos usar esse tempo como uma oportunidade para explorar outras coisas que nos satisfazem e estimulam nossos desejos, tais como sexo por telefone, ou por meio de câmera, leituras eróticas, assistir a vídeos pornográficos, ou apenas a boa e velha masturbação. (E lembre-se, caso você esteja divulgado ou trocando imagens e vídeos seus, faça com cuidado e atenção, tenha consciência de que alguém pode usá-los e como isso pode terminar…).

E se você continua tendo encontros, considere reduzir o número de pessoas com quem você tem feito sexo. Lembre-se de que enquanto você pensar que o COVID-19 não é um risco eminente para você, pode ser um risco à saúde da pessoa com quem você está fazendo sexo. De fato, há um aumento considerável de jovens saudáveis adquirindo o vírus e ficando bastante doentes. Considere tirar uma folga do sexo casual, pelo menos até as coisas começarem a normalizar.

É muito importante evitar o sexo, especialmente o beijo, caso você ou seu parceiro não estejam se sentindo bem, e tendo sintomas do COVID-19 (por exemplo, febre, tosse ou dificuldades em respirar). Caso você desenvolva um dos sintomas do COVID-19, você deve se autoisolar e telefonar para o seu GP (Clínico Geral) para obter mais informações de como proceder.

O Serviço de Saúde da Irlanda publicou um guia sobre sexo e COVID-19 que pode ser acessado aqui.

Testes e tratamento de ISTs

Muitos membros das clínicas de saúde sexual na Irlanda, hoje, estão operando na linha de frente contra o COVID-19, o que significa que a maioria das clínicas estão ou fechadas, ou trabalhando com número bastante reduzido de funcionários. Estamos mantendo uma lista das clínicas abertas ou fechadas  e atualizando-a sempre que as coisas mudam de figura.

E as coisas mudarão. O “surgimento” dos possíveis tratamentos contra o COVID-19, que estão sendo estudados, pesquisados, estão a caminho. Mas até lá, os serviços os quais disponibilizam testes e tratamento para as diversas ISTs devem fechar totalmente. Isso, sem dúvidas, adiciona um risco extra caso você continue fazendo sexo durante o período emergencial do COVID-19.

Caso você continue fazendo sexo, tenha sempre em mão e use preservativo e lubrificante, pois não importa a sua opinião, a verdade é que o uso de preservativo previne a maioria das ISTs, e nesse momento, as opções de tratamento contra elas estão limitadas.

Para as pessoas que vivem com o HIV, seu tratamento continuará normalmente. Caso você tenha um agendamento de consulta em breve, você será contatado pela clínica e informado de quando e como receberá sua medicação. Isso também serve para as pessoas que estão em tratamento contra a hepatite. Desenvolvemos, em nosso site, uma seção especial com informações atualizadas sobre o COVID-19 para pessoas que vivem com HIV.

Prevenção do HIV – PrEP & PEP

Assim como os serviços de teste e tratamento das ISTs, os de PrEP também estão reduzidos nas próximas semanas e difíceis de acessar. Confira a lista de clínicas fechadas – caso você tenha um agendamento referente ao uso de PrEP e a clínica que você iria está fechada, não vá! O serviço que esteja com restrições de pessoal entrará em contato com você, antes da data do seu agendamento, para informar-lhe se você será atendido ou não. Você pode comparecer normalmente na sua consulta, caso ninguém faça contato para lhe informar do contrário.

Nós sabemos que os usuários gays, bissexuais e HSH que tenham um agendamento de PrEP marcado serão contatados individualmente, e informados para não comparecerem à consulta, mas será enviada, por correio, a prescrição para adquirir o PrEP, caso você necessite.

Se você é um homem cisgênero e decidiu que vai manter o distanciamento social e que não fará sexo até que as coisas comecem a se normalizar, você pode parar de tomar a dose diária de PrEP após dois dias sem sexo. Para todas as outras pessoas (incluindo sexo vaginal / frontal), continue tomando o PrEP por até sete dias sem sexo, e então faça a pausa no medicamento.

Caso surja uma oportunidade inesperada de sexo, você pode usar o “PrEP para situações eventuais” – mas esteja atento de que isso não funciona para todos e você deve seguir um regime especial. Você pode conferir mais informações sobre isso aqui. Isso é, também, uma forma positiva de economizar o seu suprimento de PrEP durante a pandemia de COVID-19, caso você tenha pouco medicamento.

Você pode ter lido ou escutado pessoas falando sobre o PrEP ou PEP como métodos eficientes para combater o COVID-19. Isso não é verdade! Não há, até o momento, nenhuma evidência de que o uso de PrEP ou PEP seja efetivo contra o COVID-19. Esses medicamentos são efetivos apenas contra o HIV.

Caso você decida fazer sexo e não usar preservativos ou PrEP, você pode considerar o uso de PEP. Porém, como todos os pontos apontados acima, pode ser difícil ter acesso ao medicamento, já que os serviços podem estar fechados. PEP continua sendo disponibilizado para essas situações no Serviço de Acidentes ou Emergência, ao custo de Cem Euros (€100) para cidadãos europeus e um pouco mais caro para não-europeus. Lembre-se de que você tem de tomar o PEP em até 72 horas depois da relação sexual. Mantenha em mente, também, que o Serviço de Acidentes e Emergência está sob alta demanda, em função do COVID-19.

Uso de drogas e álcool

Sabemos que a nossa comunidade experiencia um alto consumo de drogas e álcool durante períodos “normais”. Agora, com a possibilidade de termos mais tempo disponível, além de ansiedade, estresse e sensação de incerteza, em função das regras de isolamento, as chances de aumentar o consumo de drogas e álcool é exponencial. Isso, para alguns, pode ser perigoso ao perder o controle do uso dessas substâncias recreativas pelo uso contínuo e se tornar um vício. E como estamos vivenciando a redução considerável do número de serviços de saúde, esse momento seria o de se considerar um plano para a redução do uso de drogas e álcool. Caso você deseje dar um tempo, confira aqui o plano de ação que pode ajudá-lo a reduzir o desejo pelo uso e também os gatilhos que o levam a usar tais substâncias.

É claro que todos têm diferentes comportamentos referentes ao uso de drogas e álcool, e dar um tempo nem sempre é possível. Caso você acredite que seja difícil para você, tente, pelo menos, reduzir ao máximo os possíveis efeitos negativos causados pelo uso dessas substâncias. Há muitas indicações de como reduzir os danos causados pelas drogas aqui.

Então, e agora?

Não há dúvidas que vivemos tempos difíceis – esta situação é sem precedentes. Estamos, todos, aprendendo e nos adaptando para algo que tem um imenso impacto para a sociedade de modo geral. Todos nós temos a responsabilidade de agirmos de maneira a reduzirmos os impactos do COVID-19 e, quando falamos de sexo e saúde sexual, a melhor coisa que podemos fazer é – e lembramos aqui que apenas estamos sugerindo isso neste contexto, nessa situação única que estamos vivenciando – de fato dar um tempo nos encontros sexuais.

Isso dito, sabemos que nem todos nós estamos prontos ou capazes de o fazermos. Neste caso, siga as instruções que descrevemos acima.

Independentemente das decisões que você ou outros membros de nossa comunidade desejem tomar, precisamos, todos, ser gentis, compreensíveis, e ter empatia para com os outros. Estamos juntos nessa luta!

Caso tenha outras dúvidas ou precise de mais informações ou suporte, você pode contatar a equipe do MPOWER por telefone, WhatsApp ou e-mail.

Clique aqui para visitar Man2Man.ie para mais informações sobre o COVID-19 e sexo pela GHN.